quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Como ser um ser completo para Deus !!

Como se um ser completo para Deus

Ef- 2-10...Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.

Deus é um ser completo, e criou o homem completo, mas o pecado ao entrar deixou o homem incompleto, e hoje para se alcançar novamente essa plenitude com Deus o homem precisa conquistar estagios na sua caminhada com Deus, dia apos dia....
Dentre esses estagios destaquei cinco que ajudarão voce a conquistar novamente a sua condição de ser completo em Deus.
1- Esvaziar-se de si mesmo
2-Cuidados no Olhar
3-Ousadia no agir
4-Temor
5- Santidade

Deus espera que cada um se esvazie-se de si mesmo e se encha de Deus, que os olhos estejam fixos em Jesus autor e consumador de nossa fé, e que o Cristão tenha ousadia para entrar no santo dos santos, com muito temor, reverencia e acima de tudo Santidade.
Segui a paz com todos e a santificação sem ela ninguem verá a Deus.

Reverendo Wilson Leal

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Em meio ao temporal!!!



O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem temerei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?

Salmo 27.1

Conta-se que certa vez um menino acompanhava seu pai em busca de água numa fonte distante de casa. Enquanto o menino enchia os vasilhames, o pai fazia o translado, e esta operação se repetia até a casa está abastecida.

Certo dia, estando o menino só, na fonte, desabou forte temporal. O menino pensou em agir de diversas maneiras, mas... acomodou-se debaixo de um arvoredo na certeza de que o pai voltaria ao seu encontro. " Ele prometeu, então ele vem", pensava o menino. Até que ao longe avistou o pai e todo medo, toda a insegurança se foi.

Quando estamos firmados em Deus, haverá dias ruins, mas nunca estaremos em desespero porque o que o Pai prometeu cumpri. A experiência nos ensina que Deus jamais abandona um filho seu. E quando Deus corre ao nosso encontro todo o medo, tristeza, insegurança desaparecem e reina uma paz calma e serena, mesmo que seja em meio a um grande temporal.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Quando so o milagre resolve (final)

video

Quando só o milagre resolve (2ª Parte)


O meu Deus é forte!!!


O crente e o Discipulo


A diferença entre o Crente eo Discípulo.




O crente espera pães e peixes; o discípulo é um pescador. 
O crente luta por crescer; o discípulo para se reproduzir. 
O crente ganha-se; o discípulo faz-se. 
O crente depende do carinho da igreja; o discípulo está determinado a servir a Deus. 
O crente gosta de elogios; o discípulo exerce sacrifício vivo. 
O crente entrega parte de suas finanças; o discípulo entrega toda a sua vida a Deus. 
O crente cai facilmente na rotina; o discípulo é um trabalhador incansável. 
O crente precisa ser estimulado, o discípulo procura estimular os outros. 
O crente espera que alguém lhe diga o que fazer; o discípulo assume responsabilidades. 
O crente reclama das condições, murmura do que vê; o discípulo obedece, aceita e nega-se a si mesmo. 
O crente é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para melhor exercer a sua fé. 
O crente resmunga e exige uma visita; o discípulo visita os enfermos e necessitados. 
O crente pensa em si mesmo; o discípulo pensa nos outros. 
O crente senta-se para adorar; o discípulo vive adorando. 
O crente é a habitação do Espírito Santo: o discípulo, vive a vontade do Espírito, que habita em si. 
O crente vale na igreja porque soma; o discípulo vale porque multiplica. 
O crente é muitas vezes transformado pelo mundo; o discípulo transforma a sua vida para que o mundo nunca o transforme. 
O crente destaca-se com ideias sobre as melhorias no templo; o discípulo destaca-se pela vontade de edificação da igreja. 
Os crentes são soldados defensores; os discípulos são invencíveis soldados invasores. 
O crente cuida da sua tenda; o discípulo desbrava e amplia o seu território. 
O crente sonha com a igreja ideal; o discípulo empenha-se, com zelo, pela edificação dos salvos. 
A meta do crente é ir para o céu; a meta do discípulo é ganhar almas para povoar o céu. 
O crente necessita de festas para estar alegre; o discípulo vive em festa porque possui a genuína alegria de Deus. 
O crente espera um avivamento; o discípulo ora por ele e trabalha para alcançá-lo. 
O crente agoniza e desfalece com facilidade; o discípulo chora, quebranta-se, mas depois se levanta renovado, para dar amor e conforto aos outros. 
Ao crente promete-se uma almofada; o discípulo tem uma cruz. 
O crente é associado da igreja local; o discípulo é servo do Deus Altíssimo. 
O crente cai facilmente nas ciladas do diabo; o discípulo afasta-as de si, não se deixando confundir. 
O crente responde: Talvez!; O discípulo: Eis-me aqui! 
O crente espera recompensa para dar; o discípulo é recompensado porque dá. 
O crente retira-se ou deixa a sua congregação quando é incomodado; o discípulo, quando incomodado, humilha-se e espera no Senhor. 
O crente muda de igreja, conforme sinta frio ou calor; o discípulo agrega “os frios” para sentirem o calor da comunhão. 
O crente valoriza os irmãos que congregam em outros locais; o discípulo valoriza todos os irmãos, mas, em primeiro lugar aqueles que com ele são o edifício da igreja local. 
O crente reúne-se para ouvir a Palavra do Senhor; o discípulo reúne-se, não só para ouvi-la, como também para praticá-la.